10 agosto 2014

Filme: O Labirinto do Fauno

Espanha, 1944. Oficialmente a Guerra Civil já terminou, mas um grupo de rebeldes ainda luta nas montanhas ao norte de Navarra. Ofelia (Ivana Baquero), de 10 anos, muda-se para a região com sua mãe, Carmen (Ariadna Gil). Lá as espera seu novo padrasto, um oficial fascista que luta para exterminar os guerrilheiros da localidade. Solitária, a menina logo descobre a amizade de Mercedes (Maribel Verdú), jovem cozinheira da casa, que serve de contato secreto dos rebeldes. Além disso, em seus passeios pelo jardim da imensa mansão em que moram, Ophelia descobre um labirinto que faz com que todo um mundo de fantasias se abra, trazendo consequências para todos à sua volta.
Nota: ♥♥♥♥
Se você vai assistir pensando que é apenas um conto de fadas, está enganado, é bem mais do que isso. O Labirinto do Fauno é um filme que mistura fantasia e guerra, uma combinação que não podia ter um resultado melhor. Ophelia terá um irmão. Sua mãe está esperando um filho do capitão, um homem que acabou de casar, um fascista espanhol muito cruel, apesar de sua esposa não crer nisso. Ophelia  se opõe à sua nova moradia e não chama o capitão de pai, apesar do pedido de sua mãe, mesmo sendo apenas uma criança, a garota teme o capitão. Logo no primeiro dia de sua estadia, Ophelia vê a criada, Mercedes, roubando suprimentos para os fugitivos que o capitão e todos os seus soldados estão perseguindo.

Paralelamente a guerra, Ophelia  encontra uma fada que a guia até um fauno que alega que ela é a reencarnação e uma fada, que certa vez fugiu de seu reino para conhecer o mundo humano e com isso, perdeu pra sempre sua memória; no entanto, para reabrir o portal e retornar ao seu reino, ela precisará cumprir três tarefas para provar que não se tornou completamente humana, tarefas que precisam ser feitas até a próxima lua cheia. 

No mundo real, Mercedes e um médico continua ajudando uns fugitivos, médico tal qual que cuida e acompanha a gravidez da mãe de Ophelia , que vai se agravando a toda instante. 

Em sua primeira tarefa, o fauno lhe entrega um livro que irá lhe guiar e três pedras. Ao abrir o livro, as páginas são brancas, mas depois se revelam, mostrando a ela uma árvore que há tempos não floresce mais, devido ao sapo que mora embaixo dela. Para curar a árvore, Ophelia deve fazer com que o sapo coma as três pedras. Ela realizou a tarefa com tranquilidade, no entanto, quando o fauno retorna com a segunda tarefa, a menina lhe diz que sua mãe está muito doente e ele a ajuda, lhe dando uma mandrágora e algumas instruções. 

A segunda e terceira tarefa não foi tão fácil e a medida que a guerra avança as coisas vão ficando mais difíceis para Ofélia voltar para seu reino. 

Muitos acreditam que o fauno, as fadas e o reino da Ofélia não passa de histórias imaginadas pela garota, fã de contos de fadas e usado para escapar da sua terrível realidade. Nesse caso, não é um final alternativo tão terrível assim, porque vendo o cenário em que o filme se passa, ao contrário de outros filmes/histórias em que algumas pessoas também alegam isso, tal como Narnia, é plausível essa teoria, devido a crueldade. 

Do mesmo diretor de Mama, O Labirinto do Fauno foi produzido por Guillermo del Toro. Um filme mexicano e espanhol de 2006.

Um comentário:

  1. Faz um tempão que vi este filme, particularmente sempre gostei de acompanhar o trabalho de del Toro. Sem falar no visual lindo que O labirinto do fauno tem. Bom filme.

    Beijos
    www.passaporteliterario.com

    ResponderExcluir

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo