29 maio 2014

Resenha: Cidades de Papel

Olá, Leitores!
Hoje tem mais uma resenha para vocês. E o John Green é lindo!

Cidades de Papel
John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 368
Nota: ♥♥♥♥

Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma.
Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.
Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

Resenha: Este é o quarto livro do John que leio e pra mim cada um deles foram diferentes comparados, sei lá, foi o que senti. Mas, com certeza até agora "A Culpa é Das Estrelas" foi o melhor! E não que não tenha gostado de "Cidades de Papel", mas parece que por mais que o John escreva nada supera a Hazel e o Gus e talvez isso seja um problema para mim e o lindo do John Green que me perdoe.
Enfim, gostei sim do livro e acho que não há ninguém melhor nesse mundo que supere a criação de seus personagens. É tão bem construídos e com algo especial que me encanta, e me faz querer conhece-los ainda mais. E pretendo conhecer muito mais obras do autor, porque pra mim foram ótimas experiencias como leitora.
"Não com o que me pareço, mas sei como me sinto:  Jovem. Estúpido. Infinito."
A história se passa ao redor de Margo e há muitas e muitas páginas onde Quentin tenta não só descobrir aonde ela está, como quem é realmente essa garota. E confesso que fiquei até entediada algumas vezes, afinal para ele era como se ela fosse o seu mundo.
Bom, aparecem mistérios o tempo todo, como: "Ai, Margo deixou pistas nesse poema de Whitman, mas o que quis dizer com isto?!", então é basicamente isso e achei bem legal o fato de Walt Whitman fazer parte do livro.
No entanto, acho que o autor quis falar mais sobre a existência das cidades de papel e foi algo que em um momento de sua vida foi descoberto. E também há a comparação de nós, pessoas com a fragilidade do papel e confesso que gostei das palavras que o John usou e é tudo muito bem escrito e elaborado.
Se a história deixou alguma brecha, não percebi e se faltou mais alguma coisinha ou outra, também não percebi.

Agora, sobre os personagens já disse as minhas primeiras impressões, porém, não sei até agora se gostei da Margo ou não. Enfim, achei que ela foi mais importante na história do que o próprio Quentin que é quem narra. Ela, é uma garota diferente e que pensa diferente das outras garotas da sua cidade e achei que a Margo poderia ter vivido um pouco mais com o Q, do que só por uns instantes.
Sobre o Quentin, achei ele um garoto com algo especial e com sentimentos adoráveis. E sim, ele foi criado sob medida para mim, adoraria conhece-lo.
Os personagens secundários, foram tão bons como os protagonistas. Adorei, o Ben e a improvável Lacey. Acho que só lendo para conhecerem melhor.
"-Você não está preocupada com o... para sempre?
-O para sempre é composto de agoras. [...] 
O final foi o final, acho que já foi o esperado até para o próprio Q, e até que gostei, foi bem explicado e compreensível.
A capa é linda e a diagramação é ótima, com folhas amareladas e letras num tamanho bom. É um livro fácil de ler e agradável.
Sim, eu recomendo e vale muito a pena ler e ter na sua estante.

Até a próxima!

4 comentários:

  1. Oiee ^^
    Eu também gostei desse livro, mas achei o Q bem idiota, seguindo a Margo para todos os lados, mesmo que ela nem olhasse mais para a cara dele. Acho que esse foi o único ponto do livro que eu acabei não gostando.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, realmente concordo com voce, teve horas que queria da uns tapas nele, mas enfim tirando isso gostei do livro.
      Beijos, obrigado por comentar!

      Excluir
  2. Oi, Arielle! Como vai?
    Ainda não li esse livro, apesar de tê-lo comprado de dia das crianças para mim - pois é hahahah Quero muito ler os outros livros do Green, mas é tanto spoiler que eu recebo que dá até desanimo. Sei o que acontece no fim de Quem é você, Alasca? e O Teorema Katherine :( E nem li ainda. Triste. Ahhhh, você viu que vai ter o filme? E viu que o ator que vai fazer o Q é o mesmo que vai fazer o Isaac? *---* Pois é. Adorei a resenha! Espero ler em breve.
    Beijos,
    Karol.
    http://heykarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaah, acho que deve ler sim, o John é incrivel!!
      Sei bem como é, mas nada melhor do que tirar as proprias conclusões.
      Obrigado por comentar!
      Beijos.

      Excluir

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo