26 setembro 2013

Resenha: O Teorema Katherine

O Teorema Katherine
John Green
Intríseca 
285 Páginas
Nota: ♥♥♥♥♥
Orelhas de Livro

Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

Eu definiria esse livro como um livro que fala sobre "quase-nada" legal. O que significa? Bom, se você pegar a história principal do enredo, ela é bem fraquinha e boba. Mas o enredo foi belamente desenvolvido, o que não é de se esperar menos pelo escritor. O Teorema Katherine te garante boas risadas e exige um conhecimento básico de matemática.
A história com Colin que acaba de levar um fora da sua 19º namorada, sua 19º Katherine. Para Colin, todo mundo tem um tipo e o dele é linguístico: Ele gosta de Katherines. Não é como se ele simplesmente namorasse com qualquer Katherine que conhecesse, ele apenas se apaixona por Katherines. O que começou com um namoro de quase três minutos, virou quase uma obsessão. Cada término para Colin é uma superação muito difícil e após seu 19º rompimento, ele "mete o pé na estrada" com seu amigo Hassan para esquecer mais essa decepção. Acabam no interior do Texas e conhece Hollis e Lindsay, mãe e filha que moram numa casa cor-de-rosa e donas de uma grande empresa de cordinhas para absorvente - isso também me soou estranho.
Colin é um garoto prodígio, ele tem uma facilidade imensa em aprender e gravar coisas, um talento sobrenatural pra criar anagramas e uma memória incrível. Porém, o que era queria mesmo era ser um gênio. Prodígio aprende coisas, gênio as criam. Colin queria ser importante, queria ser conhecido. Quando a Katherine 19 termina com e ele e viaja, ele tem seu momento Eureca - uma ideia genial, digna de um gênio - e cria O Teorema Katherine, onde ele pode prever quem vai terminar com quem em um relacionamento.
Claro, que Colin tem muito que trabalhar nesse Teorema e quando Colin chega à cidade e conhece a família-da-casa-cor-de-rosa - inicialmente indo até lá visitar o túmulo de um cara importante, que eu não me lembro - Hollis lhes oferece um trabalho, de entrevistar pessoas da cidade, trabalhadores da fábrica. Colin conhece Colin, vulgo OOC - o outro Colin - e namorado da Lindsay. Também conhece Katrina e dois dos amigos de OOC.
O que mais se destacou na história foi o humor, o Hassan é divertido, junto com Colin que vive a se martirizar por suas Katherines e Lindsay, que tem um toque levemente sarcástico na sua personalidade.
Dois detalhes importantes sobre o enredo são as fórmulas que aparecem no decorrer da história e as notas divertidas de rodapé, que geralmente servem para definir uma palava desconhecida, são usadas para deixar o enredo mais divertido.
Em outras palavras John Green fug me surpreendeu mais uma vez.

Falando sobre a parte gráfica, como em A Culpa das Estrelas, O Teorema Katherine tem detalhes bem encantadores por serem tão minimalistas. A revisão da Intríseca está impecável e os títulos de cada capítulo são bem simples.
Enredo fantástico, história hilária. Vale a pena conferir mais essa obra do John Green.

[...] Eles também eram covardes, todo mundo é. 
O problema de levar uma vida de camaleoa, é que chega uma hora em que nada em você é verdadeiro. 

2 comentários:

  1. Oiiie, gentem *-*
    Eu sou louca por esse livro, não acho o autor o melhor dos melhores, mas gostei da reflexão dele em A Culpa é das Estrelas.

    Beijinhos *-*
    http://clicandolivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Tenho vontade de ler esse livro, ainda bem que foi bem desenvolvido

    bjos
    pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo