14 julho 2013

O difícil é os olhos nos olhos

Aye, Aye pessoal. Para quem não sabe, eu sou programador (ou seja, sem vida social) e está acontecendo a TDC (conferência de desenvolvimento) nesse momento :)

Tá, e daí? Daí que estou sem tempo pra escrever algo :(
Possíveis soluções:
* Postar outro poema meu
* Postar um antigo texto meu

Como já postei um poema semana passada dessa vez vocês não terão o desprazer disso, de modo que fica abaixo um texto que escrevi dando minha opinião sobre determinado assunto (leia se quiser saber).

O texto em si é curto (ou não), mas é um pouco chato porque, bom, eu sou um pouco chato (mentira, sou mó legal).

Bom domingo e inté mais.



O difícil é os olhos nos olhos

Um jovem eventualmente descobre que foi traído por sua namorada. Obviamente xinga-a de alguns muitos nomes que aprendeu durante a adolescência, muitos dos quais já sem peso pelo uso excessivo. Seus amigos o apoiam e o incentivam a cair na gandaia para esquecer a vilã. Algum tempo depois, passado o torpor inicial, se dá conta que está sozinho e que a válvula de escape não é mais tão eficaz, se dá conta de como toda uma história foi para o ralo sem ao menos uma segunda olhada na água que se esvai em um movimento centrífugo.
Contudo, ainda sim se apega a temerária afirmação: "Mulheres não prestam!"

Quem nunca se viu, ou viu alguém em situação semelhante? A verdade é que o ser humano tende a extrapolar as experiências negativas no intuito de autopreservação, mas mesmo isso é razoavelmente, e erroneamente, focado. Dizer "mulheres não prestam" ou "homens não prestam" limita a visão do todo, de fato não existem muitas diferenças entre as razões de um ou outro, de modo que podemos apenas dizer "humanos não prestam". Erramos, pedimos desculpas, erramos novamente... somos naturalmente egoístas nesse ponto, e é difícil não ser de qualquer forma. Assim, devemos deixar de fazer distinções de gênero em nossos julgamentos, não é um bom parâmetro para filtrar nossas injúrias.

Posto isso, agora temos a afirmação "humanos não prestam". Erros são cometidos e julgados a todo momento por toda espécie de pessoas, contudo o que pode ser inadmissível a alguém é perfeitamente aceitável por outro. Sendo assim, quem de fato define o que é erro, o que é condenável? Em muitos casos, o culpado do erro pode não se considerar assim, talvez para ele seja algo normal e livre de represálias. Mas ainda que não seja, as pessoas agem por uma motivação, e ao menos foi tentado entender a motivação do erro? Nos aproveitando do exemplo da traição, o nosso jovem tentou entender sua namorada? Talvez o jovem não tenha estado muito presente nessa última semana devido ao trabalho, que curiosamente é a mesma semana em que o cachorrinho que sua namorada tinha desde sempre desapareceu. Muito provavelmente houveram inúmeros sinais de descontentamento antes que ela cedesse ao "erro".
Somos bons em botar o dedo na cara, mas péssimos em botar os olhos nos olhos.

Todavia ainda há de se considerar a si próprio. Dado que a atitude foi realmente inaceitável não há muitos motivos para se reatar, compreender o próximo não significa anistia completa. O importante é que refletindo sobre o parceiro, e sobre si mesmo, evoluímos e aprendemos. E dessa forma seguimos em frente de modo muito mais leve, sem arrependimentos e com desenvolvimento mútuo. Já se a escolha for o perdão, deve-se discutir e refletir profundamente enquanto o erro está a tona, pois após isso é uma prática completamente equivocada transformar o antigo erro em fênix fazendo-o ressurgir a seu bel-prazer.

Seja a decisão pelo perdão, ou pelas mãos apertadas e o desejo de boa sorte, o passado deve servir apenas como aprendizado, e não como motivo de lamentações.
O imediatismo do julgamento nubla a visão e impede o crescimento com a situação que se apresenta. Somente após a reflexão desse é que se segue em frente sem mais pesares, e é sendo leve que a vida se mostra vívida.

 

3 comentários:

  1. Seu texto me prendeu do inicio ao fim. Hoje em dia falar dos erros dos outros pode ser perigoso,afinal amanhã ou depois a gente erra. Acredito que o ser humano em geral não presta,não existe pessoas limitadas de seus erros. O seu texto é incrível,bem escrito,e algo bem aproveitável para se refletir. Parabéns.

    http://dienyladyy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba! Meu primeiro comentário :)
      Isso enche meu ego, e nem precisei pedir: "Comentem por favor" (tava quase fazendo isso).

      Hipérboles (adoro essa palavra) à parte, é legal ter algum feedback. Que bom que gostou, talvez eu faça mais esse tipo de texto.

      Só discordo da máxima "pessoas não prestam", as pessoas seguem um conjunto de moral muito pessoal, provavelmente a maioria "presta" para si mesmo. E como dizer para essa pessoa que ela está errada?

      E de todo modo, "não prestar" é muito forte. Eu acho que as pessoas são naturalmente egoístas, mas também acho que as pessoas são naturalmente solidárias (desde que não fira o preceito do egoísmo).

      Mas isso é relativo, é algo para se refletir como você disse.
      Bom, obrigado pela migalha de ego e orgulho que tu me proporcionou :)
      Buenas e inté mais.

      Excluir
  2. Eu também sinto discordar da afirmação "as pessoas não prestam", afinal uma pessoa está totalmente sujeita a ter uma boa índole,e ainda sim cometer um erro. Nessa vida nossos erros de certa forma são nossas chances de acerto, ninguém tem todo o seu futuro escrito nas estrelas e absolutamente claro, tudo pode mudar a cada sopro o mundo está diferente e eles são a única coisa que nos permiti nos adaptar a mudança. Enfim, acredito que o bem e o mal não deveriam ser levados tão a preto e branco, tudo é cinza nessa vida, o que te faz adotar mais o preto ou mais o branco é a forma como você lida com as consequências do seu erro e seu julgamento pessoal do mesmo.

    ResponderExcluir

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo