11 junho 2013

Resenha: As Vantagens De Ser Invisível

Olá, pessoal!
Mais uma vez venho com uma nova resenha. E em breve, espero, vir falar sobre o filme, na qual estou muito ansiosa para assistir! Coloquei essa capa porque foi na edição em que li. Espero que gostem.

Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Páginas: 223
Nota: ♥♥♥
FAVORITO (*)

Sinopse: Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.

"EU ME SINTO INFINITO" - E Sam e Patrick olharam para mim e disseram que foi a melhor coisa que já tinham ouvido.
Resenha: Esse foi o livro mais diferente em que já li até o momento, confesso que fiquei um pouco preocupada no começo, pois o enredo é descrito em formas de cartas e talvez isso prejudicasse a estória. No entanto, as expectativas que criei após ouvir falar sobre o filme foram correspondidas, afinal é um livro incrível e adorei poder ter lido. Apaixonei-me pelo personagem e o seu jeito, e diria que foi uma ótima experiência conhecer a vida de Charlie e os seus pensamentos mais íntimos. Gostaria de ter o conhecido pessoalmente, pois seria muito interessante ter um amigo como ele. Existem muitas coisas na qual poderia falar, mas acho que todos devem tirar suas conclusões por si mesmo, afinal esse maravilhoso livro deu inspiração para um filme. De uma coisa eu sei e aprendi: senti-me INFINITA! Obrigada querido Charlie por isso.

A primeira carta é escrita na data de 25 de agosto de 1991 e a última foi escrita em 23 de agosto de 1992. Não existe um destinatário, mas é uma forma em que Charlie encontrou para “desabafar” sobre sua vida conturbada. E também ele não diz quem realmente é, apenas revela o seu nome e nada mais.
Charlie é um adolescente diferente para aquela época, pois se encontra em confronto consigo mesmo principalmente não aceitando a morte de duas pessoas importantes em sua vida. Além disso, sabe de muitos segredos sobre cada um de sua família e pessoas de sua escola. E também ama ler livros, onde para ele não existe um favorito, ama ouvir e gravar músicas. Uma pessoa super inteligente que sabe escrever e dizer belas palavras.
"Não sei se você já se sentiu assim, querendo dormir por mil anos. Ou se sentiu que não existe. Ou que não tem consciência de que existe. Ou algo parecido."
A estória tem uma mistura de drama, romance e humor, e se torna impossível não se envolver e se emocionar. É uma leitura rápida, pois assim que termina de ler uma carta você já quer saber o que a próxima conta. Diria que esse um livro na qual temos de ler com o coração, pois é algo que precisamos sentir. Muitas vezes vamos nos comparar á Charlie e começar a refletir certos pontos de nossas vidas.

Como o título mesmo diz, Charlie é invisível em dados momentos, mas tudo muda quando ele conhece Sam e Patrick, na qual se tornam seus melhores amigos. Enfim, a partir dessas amizades o personagem passa a conhecer um mundo diferente: drogas, sexo, homossexualismo, festas, etc. Adoro esses seus dois amigos, eles são muito legais e têm pontos de vistas que fazem realmente sentido. E o nosso protagonista é apaixonado por Sam, não poderia deixar de comentar isso. O final é inesperado e gostei de suas palavras ditas em sua última carta, recomendo a todos sem exceção, é tudo muito bom e sentirei saudades das aventuras de Charlie.
Bob: -Ele é uma figura, né?
Patrick: -Ele é invisível.
[...]
Patrick: -Você vê as coisas. Você guarda silêncio sobre elas. E você compreende.
Sam: -Quero ser a primeira pessoa a beijar você. Tudo bem?
Charlie: -Tudo.
 
Essa é a música favorita de Charlie, na qual é trilha sonora tanto do livro, quanto do filme. Para ele é uma música que te leva ao Infinito!

Até a próxima!!

4 comentários:

  1. Essa música é L-I-N-D-A *-----*
    Já viu a letra? Sabia que é um relato de um suicida, algo assim t.t
    Mas é uma ótima música!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É legal mesmo!
      E tem a ver com o livro essa música!

      Excluir
  2. Ainda não li o livro, mas o filme é muito bom.

    ResponderExcluir

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo