06 maio 2013

#Thinking: Estrelas

Oi gente, vim aqui postar mais um dos meus textos.. E esse é particularmente pessoal.
Ainda que ao escrevê-lo eu tenha tido a sensação de que eu só peguei 15% dos meus pensamentos e exteriorizei, como se essa quantidade fosse a que estava transbordando, e de certa forma, isso é escrever, pegar o que transborda dentro de você e colocar para fora. Enfim, foi uma ótima e necessária propagação.

 

                                          Estrelas 


Eu me sinto estranhamente abstrata quando alguém diz que me considera confusa. Primeiro porque de certa forma eu sou mesmo confusa, mas segundo porque de certa forma eu não sou. Eu sou capaz de entender cada interrogação minha, cada porque que originou aquela pergunta, então eu sou clara, mas o fato de eu não saber ou não entender suas respostas me confunde. Como eu disse... estranhamente abstrata.
Por muito tempo eu foquei em um sofrimento só, e tudo o que eu exalava, e dizia e escrevia era sobre ele, e agora, ao fechar pela segunda vez o meu livro " a culpa é das estrelas" eu pude perceber o quão tola eu tenho sido. Não pelo fato de que o livro se trata de câncer e eu ter de me sentir grata por ser saudável. Longe disso. Os personagens do livro possuem as mentes mais saudáveis, lúcidas e ao mesmo tempo lindamente incoerentes que eu já vi. E isso me fez perceber o quão imenso o mundo é, ainda que eu já tenha consciência disso.
A verdade é que o mundo é uma grande bola de yin yang, uma bola linda e extremamente dolorosa. São tantos adjetivos, e palavras que eu não poderia organiza-las nem se eu quisesse. Um exemplo é o vulcão, quando se pode assistir a uma erupção, o magma que é expelido e escorre como água depois de bater em uma rocha, parece absurdamente lindo com todos os seus tons de cores vívidas. E ainda sim, se você estivesse em Pompeia, você iria poder ouvir os gritos de horror e dor dos habitantes.
Acho que perdi tanto tempo focando no meu sofrimento pensando que eu estava focando em mim, que eu esqueci de fato de focar em mim. Acabei de perceber que cheguei em uma etapa em que já não me reconheço mais. Sinto falta do prazer que eu sentia simplesmente por sentir o cheiro de uma flor. Falta de como um sorriso vinha nos meus lábios todas as vezes em que eu parava e encarava o céu por alguns minutos, ou prestava atenção nas linhas do desenho de uma folha, ou a forma que a luz adornava algum objeto, como se de alguma forma todas essas coisas fossem meus amigos secretos que haviam acabado de me contar um segredo engraçado que ninguém nunca saberia.
Sinto falta da sensação de paz que eu sentia a cada vez que eu respirava fundo, o prazer que o oxigênio carregava para dentro do meu corpo, e o alívio que eu sentia quando finalmente expelia o gás carbônico.
O problema é que eu acabei me tornando um tipo de pessoa que eu critiquei mais de uma vez. Uma pessoa que não percebe o valor de todas essas coisas, que acha que respirar é banal, e que não perde a porcaria de cinco segundos de vida, para perceber que... Droga você está vivo, você está respirando, e esse simples fato permitiria que você pudesse ir a Austrália, ou a China visitar todos aqueles templos, e poder andar naqueles bosques, ou a Holanda, onde eu poderia presenciar a cena que os personagens do livro que eu acabei de fechar puderam presenciar. Ou simplesmente, sair correndo a noite em uma praia com dois melhores amigos. O simples ato de respirar faz com que seja possível eu ouvir uma piada e rir. Mas essa é a questão, muita das vezes a vida, o yin yang da bola que é o mundo, te leva para dor, e você cego por ela não percebe que a felicidade, e a beleza, e a simplicidade maravilhosa, misteriosa e exuberantemente secreta das coisas, permanece onde sempre esteve, com você e ao redor de você. 



(Juliana Amazonas)

Ps: Esse texto é propriedade minha e do blog, caso copie, favor colocar os devidos créditos. Obrigada. 


Bom pessoal espero que vocês tenham gostado, até a próxima. 


2 comentários:

  1. Gostei demais do texto!
    Expressa muito do que eu sinto também.
    Parabéns =)
    Bjss
    sete-viidas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, fico realmente mt feliz de saber disso.
    Volte sempre, beijinhos.

    ResponderExcluir

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo