05 maio 2013

#thinking - Aline


Boa tarde! 
Eu não costumo postar nessa coluna, #thinking , mas agora eu e a Ju iremos postar nela coisas criadas por nós mesmas, pensamentos. 
Eu confesso que não ia postar esses três textos que eu escrevi, mas a Ju me convenceu. Ela me ameaçou, na verdade. 
Enfim, a opinião de vocês é importante, comentem. 

Eu vou deixar uma música que eu me inspirou, então se quiserem ouvir ao lerem.. 

Eu sou uma constante inconstância. Fora dos padrões, uma normal anormalidade. Ninguém sabe a extensão da confusão que se passa na minha mente e ninguém quer saber. Também não faço questão de explicar. Minha mente ainda é o único lugar reservado a mim e que tenho controle de quem entra nele - mais o menos. O pior é quando tudo vira de ponta cabeça, é uma loucura. Fico semanas chorando por motivos que desconheço. Fico dias procurando algo - ou alguém - em que me segurar pra não desmoronar. Procuro um motivo pra continuar firme, segurar minhas lágrimas e me manter impassiva. Mas parece que não existe, que todas as razões pra eu ficar bem se tornaram tolas demais, insignificantes demais. De repente eu sinto que me tornei o que eu mais temia: Apenas um número, que não tem controle sobre seus próprios atos. Que deseja arduamente retomar as rédeas, mas que tem medo do que vem pela frente. Sinto-me uma marionete nas mãos de alguém que desconheço e por um momento recupero a lucidez e percebo o buraco em que estou me afundando e dessa vez, sem ter ninguém pra culpar. Porque no final, somos culpadas pelo nossos fracassos. Mas o que eu realmente temo, não é buraco. Não é a minha primeira decida e certamente não será a última. O que eu realmente temo é o retorno, em que pé meu mundo estará quando eu voltar? 
5 Segundos
Quem sabe, um dia essas doces - não tão doces - palavras tocassem o coração de alguém e o trouxesse volta a vida. Não ressuscitar - mas tirar da miséria. Miséria da solidão, miséria do coração partido, da mente lotada, das costas sobrecarregadas. Miséria do amor não correspondido, de sonhos não realizados, de oportunidades perdidas. Só queria que alguém, mais que lesse, sentisse minhas palavras transformar sua vida. Não precisa ser multidões de pessoas, nada muito grandioso, mas pelo menos uma pessoa. Uma pessoa que se sentisse renovada, que sentisse vontade de continuar, de começar, recomeçar, terminar, enfim, de fazer alguma coisa. Queria apenas servir de motivação pra alguém, nem que seja por 5 segundos, pra mim bastaria. Seria o bastante, enfim cumpriria meu propósito - faria 5 segundos de diferença.  
Vem, deita no meu ombro. Pode encharcá-los de lágrimas, eu não ligo. Vem, deixa eu te ajudar. Você não precisa fingir comigo, eu sei o que você é, quem você é. Te conheço de dentro pra fora, deixa eu te ajudar. Segura a minha mão, eu te ajudo a levantar. Se apoie em mim, deixe eu ser seu guia. Deixa eu fazer algo por você, como você fez por mim. Me ajude a te ajudar, deixe eu achar que sou importante pra você nem que for por um instante. Deixa eu entrar no seu mundo, mesmo que por minutos. Eu sei que você precisa de mim, mesmo que for pra me descartar depois. Deixa eu te ajudar apenas uma vez, como você me ajudou por diversas. Deixe-me te ajudar a se restaurar, pra depois eu partir. Feliz, triste, com coração quebrado, mas com a mente realizada. Realizada porque por um instante que seja, eu fiz a diferença na sua vida. Pode parecer estranho, "cade o amor próprio?". Mas isso foi bom pro meu ego, que apesar de tudo o que você me disse, tudo que você fez eu acreditar, você ainda precisou de mim. Por minutos, segundos, que seja. Foi bom, mas agora acabou. Acabou pra mim e pra você. Era o que eu precisava pra seguir em frente, em paz. 
Direitos reservados a Aline Salvagnane e The Song of the Letters.
Se você leu todos, saiba que isso me deixa muito feliz. ♥
xoxo

4 comentários:

  1. Oi Aline,
    Eu adorei o texto, você escreve super bem. Que bom que a Ju te ameaçou, ficou ótimo.
    Amo Coldplay e ainda mais essa música!
    Parabéns pelo texto!
    Beijos,
    Yasmin
    deitadosnagrama.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Yasmin, fico realmente feliz que tenha gostado. *-*
      Coldplay é realmente ótimo e essa música é linda!

      Beijos e obrigada pela visita <3

      Excluir
  2. Nossa, Aline, amei. Você não tem noção de como me descreveu falando sobre si mesma.
    É tão estranho... Eu pensava que estava fora dos eixos, talvez esteja mesmo, mas é diferente sabendo que alguém compartilha da minha anormalidade.
    Continue escrevendo e postando pra gente ^-^
    Bjssss

    ResponderExcluir
  3. Eu realmente AMEI esse texto. "Quem sabe, um dia essas doces - não tão doces - palavras tocassem o coração de alguém e o trouxesse volta a vida. Não ressuscitar - mas tirar da miséria. Miséria da solidão, miséria do coração partido, da mente lotada, das costas sobrecarregadas. Miséria do amor não correspondido, de sonhos não realizados, de oportunidades perdidas." Absolutamente perfeito.
    Sinceramente, ficou muito bom, eu gostei de verdade. Parabéns.
    Beijos!
    Karol,
    http://heykarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo