12 janeiro 2013

Resenha: Amor no Ninho

Boa noite!

Como prometido, depois de algum tempo, eu Aline venho com uma nova resenha para o blog: Amor no Ninho da escritora Maribell Azevedo, publicado pela editora Kalango.

E se você fosse escolhida, para ser irmã do amor de sua vida? Num mesmo ninho, podem nascer diferentes tipos de amor. Irmãos adotivos, Marina e Daniel se tornam grandes amigos. O tempo passa e à medida que eles crescem a semente do amor, enraizado em seus corações desde a infância, começa a germinar, desafiando assim as regras impostas por seus pais. Ao tentar viver esse amor, o futuro se revelará traiçoeiro e cheio de armadilhas. Eles estarão preparados, para enfrentar todos os desafios que o destino lhes apresentar? Daniel e Marina uma surpresa, o conflito, um segredo e a oportunidade de viver um “Amor no Ninho”."



Eu vou ser bem, bem, bem sincera com vocês. No momento em que eu sentei na tela do computador não fazia ideia de como escrever essa resenha, sinceramente, ultimamente eu ando com a mente um tanto fechada e não sabia como transformar a minha opinião sobre esse livro em palavras.
Quando isso me aconteceu, eu lembrei quando eu cobrei uma resenha de um livro da Juliana e ela simplesmente me disse: "Aline, eu não consigo escrever resenhas de livros que eu amo, porque eu acho que nunca é bom o suficiente." Agora percebo a sinceridade e a verdade nas palavras dela, porque isso já aconteceu comigo diversas vezes, mas pelo blog eu sempre tentava, lia várias resenhas a respeito do livro para ampliar minha mente.
Dessa vez, eu quero tentar algo diferente, quero que as palavras sejam inteiramente minhas, quero conseguir transpor a magia do livro e como ele mexeu comigo através da resenha. Eu sou grata de todo o meu coração de ter recebido esse livro e eu diria que foi o destino, mas infelizmente, eu não acredito nisso.
Algumas pessoas que lerem isso, podem chegar a achar que há um certo exagero da minha parte, até mesmo alguns que leram o livro. Mas a verdade, é que eu me identifiquei muito com alguns personagens em especial, era como se ao descrever determinado personagem, fosse eu. Então teve um significado especial esse livro pra mim. Foi como se literalmente eu tivesse vivendo essa história. Foi como seu estivesse me lendo.

Mas chega de enrolação, direto ao foco.
Logo no início eu simplesmente amei quando Dan chegou e o súbito interesse por Marina, como o amor deles se desenvolveram com um simples olhar. Amor, "amor", quero dizer. Ao ler essa parte inicialmente, achei uma coisa tola de amor a primeira vista. Mas não foi isso. Foi algo que se desenvolveu com a idade, com a maturidade, a convivência, a proximidade e a intimidade que eles foram compartilhando. Aquilo que ela sentiu mudar dentro dela, era uma flor começou a florescer, ele mexeu com ela, como ela com ele. Eles tiveram um olhar diferente, porque o sentimento os tomou. O verdadeiro sentimento, o verdadeiro amor. O amor puro, o amor sem barreiras e o amor paciente, que sabe esperar e suportar tudo. É o amor inocente, o que o torna lindo e mágico.
Agora, você menino que está lendo essa resenha e acha que o livro é só isso, está extremamente enganado. Esse livro me tirou boas risadas!
Teve momentos bastante singulares que eu poderia ressaltar, como o primeiro beijo deles, mas gostei de uma fala em especial:
"O que mais desejo no momento é te ter aqui e agora, mas não posso fazer isso, não seria certo nem justo com você. Você merece algo belo e especial, não sexo corrido, dentro de um carro, pensando unicamente na minha satisfação. - Ele me segurou forte em seus braços e sussurrou em meu ouvido: - Quando fizermos amor pela primeira vez, quero ouvir você gemer de prazer em meus braços. Quero sentir você tremer sob meu toque, e quero estar olhando dentro de seus quando te fizer minha."
Eu achei muito lindo o modo como Dan se declara pra ela.
Mas a trama gira em torno de uma garota que perdeu seus pais um pouco cedo. Ela era descendente de brasileiro, apesar de morar na Inglaterra. Dominando ambas as línguas. Com a morte de seus pais, ele se viu sozinha, pois não tinha nenhum parente próximo com quem ela pudesse ficar. Sendo assim, Marina foi  parar em um orfanato. Quando os pais de Dan foram visitar esse orfanato, queriam adotar um garoto. Pois tinham duas filhas e apenas um filho, não podendo mais ter filhos. No entanto, um primeiro olhar e uma breve conversa com Marina fez com que eles se encantassem pelo jeito tímido da garota.
A levaram pra casa e assim apresentaram a toda sua família e com o decorrer do tempo, seu sentimento por Dan, ao invés de diminuir só foi se tornando pra mais profundo, florescendo. Passando de apenas um amor infantil, pra desejo físico, para um amor de homem pra mulher.
Logo ao entrar na escola, Marina conheceu sua nova grande melhor amiga: Shanti. Que é uma personagem INCRÍVEL! Ela é inteligentíssima, animada, alegre, imperativa, decidida e determinada. Tem memória fotográfica, é linda e simplesmente envolvente. Tem uma personalidade forte, é esperta e centrada. Vive intensamente, mas sabe se colocar acima das tentações. Uma em especial chamada Lance. E que cara especial é esse. Ele é O mal caminho. Não só um pedação dele (inclusive, isso é uma frase que Marina usa pra definir o Dan em um certo momento). Eu não sei muito o que falar sobre o Lance, ele me lembrou muito o Travis de Belo Desastre. Ele é todo galinha, mas nunca força a barra. Se você fala para, ele para. Ele sempre deixa exposto os seus interesses, é dotado por um excelente senso de humor, belíssima forma física e faz um par perfeito com a Shanti, na minha humilde opinião. Ele é um grande personagem, ele sofreu, amor e está tentando sobreviver ao seu modo, mas ele vai descobrindo que fugir nem sempre é a resposta.


Sabe, você nunca me disse porque não namorava ou porque não quer namorar, eu tenho certeza, de que, se te perguntasse provavelmente, você diria que não foi feito pra isso ou que essa não é sua praia. Mas, quer saber de uma coisa, Lance Brown? Acho que você age assim porque já amou muito alguém no passado, alguém que talvez o tenha magoado tanto que te fez se fechar completamente.
Eu realmente espero que um dia você conheça alguém, que te faça ter coragem de sair dessa carapaça fria e superficial que criou em torno de você, alguém que te faça ter coragem de voltar a se arriscar, alguém que te faça te sentir a emoção de estar completamente apaixonado, que te faça ficar ansioso imaginando quando irão voltar a se encontrar, alguém que te faça ficar nervoso só de pensar no primeiro beijo, que te faça andar na rua assoviando uma música tola e romântica, alguém que se seja a primeira coisa que você pensa ao abrir os olhos e seja a última a pensar antes de dormir.
Essa é uma fala de Shanti pra ele.
Gostaria de ressaltar também que eu tive um certo ataque ao descobrir que o nome da protagonista é Marina porque eu simplesmente amo esse nome, que foi dado ao meu livro e meu personagem preferido, do meu escritor favorito: Marina de Carlos Ruiz Zafon. Recomendo, sem sombra de dúvidas.
Outro ponto também, são as lindíssimas citações apresentadas no livro, citarei a minha preferida:
"Não é digno de saborear o mel aquele que se afasta da colmeia com medo das picadas das abelhas. William Shakespeare."

Então é isso pessoal, obrigada desde já e até a próxima!
xoxo

4 comentários:

  1. O que posso dizer?
    Eu quero ler o livro!!!
    Simplesmente amo esse tipo de trama, sem mencionar o fato de ser de uma autora brasileira.
    Ultimamente estou tentando ler mais nacionais e se o livro for tão bom quanto você diz.... Viva!
    E entendo você. quando amamos um livro, realmente fica difícil expressar em palavras o que sentimos. Sofri disso com Strange Angels da Lili. St. Crow. e quase tive um ataque por não conseguir escrever a resenha. Porém a sua está ótima.
    E adorei as citações.
    Beijokas Line ;)

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Ly. É realmente difícil, não é mesmo?
    É de fato maravilhoso e pra mim foi uma experiência deliciosa.
    Obrigada,
    xoxo

    ResponderExcluir
  3. Agradeço pela análise sensível, comovente e tão generosa! Se meu livro te tocou, garanto que sua resenha mexeu muito comigo pela sinceridade e coragem.
    Amei!
    Bjks,

    Maribell.

    ResponderExcluir
  4. Ooi, tudo bom?
    Eu li Amo no Ninho e posso dizer que o livro também me tocou, e muito!
    Ri, chorei e me emocionei, realmente excelente!
    Parabéns pela resenha, flor!

    Bjkas
    Espero sua visita!
    http://antesdeler.blogspot.com.br/2012/07/resenha-parceria-pobre-nao-tem-sorte_31.html

    ResponderExcluir

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo