11 setembro 2012

Biografia: Anne Frank

Olá pessoal, venho postar a biografia de ontem que é de uma garota que teve seu livro publicado, como "Diário de Anne Frank". Segue abaixo a biografia resumida que fiz de Anne Frank, tendo como base a página do Wikipédia.




Annelisse Maria Frank, mas conhecida como Anne Frank. A garota que morreu aos 15 anos em um campo de concentração.

Uma garota alemã de origem Judaica, que nasceu dia 12 de junho de 1929 (era uma vez, uma Anne Frank, a zilhões de anos atrás...).
Isso não é de fato uma biografia, na verdade, é o resumo das informações que eu lembro do que eu li sobre ela e confesso que isso me inspirou.

Seu pai, Otto Frank, era empresário, Anne era o segundo filho do casal, tendo como irmã Margot e como mãe Edith Frank.

Em maio de 1940 a Alemanha invadiu os países baixos e começaram a perseguir os Judeus com leis restritivas e discriminatórias.

No seu 13º aniversário, Anne ganhou livro com capa xadrez, que ela o fez de diário. Começando a escrever nele quase que imediatamente. Ela já havia o visto antes em uma vitrine. Em julho de 1942, sua irmã recebeu uma carta solicitando que ela fosse até o campo de concentração, que foi quando seu pai revelou o plano de escondê-las em um anexo secreto. Ele já tinha isso em mente, mas a carta de Margot os forçaram a se mudar mais cedo. Eles teriam ajuda de alguns de seus mais confiáveis empregados.

Morgot era mais apegada a mãe e Anne ao pai e durante o tempo no anexo secreto, com a mudança de novas pessoas, muitos criticavam Anne, por sua personalidade mais forte e não tão gentil quanto a de Margot. Mas a convivência as tornaram amigas e Anne relatou em seu diário: “Margot está muito melhor... Ela não está tão hostil esses dias e está se tornando uma verdadeira amiga. Ela não me vê mais como um bebê.”

Anne escrevia sobre seu complicado relacionamento com a mãe. Em 7 de novembro ela descreveu “desprezo” ao se direcionar a sua mãe e a incapacidade dela de “enfrenta-la com seu descuido, sarcasmo e dureza no coração” e concluindo , “ela não é uma mãe pra mim”. Mas tarde Anne descreve no diário que se sente envergonhada por ter se referido assim a sua mãe, escrevendo “Anne, é você mesma falando de ódio? Ah, Anne, como pôde?”. Ela começou a entender os mal-entendidos e viu que nem tudo era culpa de sua mãe e que ela também se sentia mal com isso, começando a trata-la com mais respeito e tolerância.

Em 4 de agosto de 1944, o anexo secreto foi invadido pela polícia e Anne e sua família foi interrogada, dia 5 foram levados a uma casa de detenção e dia 7 foram transportados para Westerbork, um campo de concentração. Ninguém nunca soube quem informou o esconderijo de Anne.

Após sobreviver a primeira leva a ser lançada na câmera de gás, sendo a mais nova a não ir, Anne ficou doente, teve sua cabeça raspada e fez trabalho escravo. Dia 28 de outubro a SS começou a transferir mulheres para Bergen-Belsen, incluindo Anne e Margot, suas mães foram deixas para trás e morreu de inanição. Anne mantinha um breve contato com duas amigas, Goslare Blitz que sobreviveram a guerra e descreverem breves conversas com Anne.

Em março de 1945 uma epidemia de tifo se espalhou pelo acampamento e matou 17.000 prisioneiros, incluindo Anne e Morgot. Há quem afirme que isso aconteceu poucas semanas antes das tropas britânicas libertar o campo, em 15 de abril de 1945, apesar das datas não terem sido registradas. Após a libertação, o campo foi queimado como meio de a doença não se espalhar, Morgot e Anne foram enterradas em valas simples e seu paradeiro exato é desconhecido.

Quando as folhas do diário acabaram, Anne começou a usar notas soltas pra continuar a escrever. Quando a Cruz vermelha confirmou a morte de ambas as filhas, Otto Frank, o único sobrevivente, o diário foi publicado em 1947, contudo, foi amplamente conhecido em 1950. Otto Frank afirmou conhecer através dele um lado de sua filha que desconhecia.

Apesar de muitas críticas e contestações, foi considerado um dos livros mais importantes do século XX.

xoxo, até mais. Aceitamos sugestões de biografias e opiniões (:

Adaptado por Aline Salvagnane - Se copiar, credite! - the song of the letters

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário nos deixará extremamente feliz, mas lembre-se: Tenha cuidado, as palavras tem poder.

- Não faça ofensas
- Não seja intolerante
- Não desrespeite a opinião alheia
- Se for divulgar, ao menos comente sobre o blog!

Não se esqueça de no final deixar o link do seu blog pra podermos retribuir, será um prazer.

Obrigada ♥
xoxo